Perícia constata “racha” e indicia quatro pessoas por mortes na BR-343

  Um racha entre carros de luxo levou a morte de duas pessoas na BR-343 em março do ano passado. É o que revela a perícia realizada pelo Instituto Criminalística na velocidade dos cinco...

Sindiperitos

 

Um racha entre carros de luxo levou a morte de duas pessoas na BR-343 em março do ano passado. É o que revela a perícia realizada pelo Instituto Criminalística na velocidade dos cinco veículos envolvidos no acidente. O indiciamento sai um ano após o acidente ocorrer.

O choque entre os carros – uma BMW branca, Camaro amarelo, New Beetle (novo fusca), Audi TT e um Mini Cooper – provocou a morte de José Luis de Paiva Igreja Segundo, motorista da BMW e do passageiro do fusca Pedro Barbosa Carvalho Filho. O acidente correu na localidade Titara, no município de Campo Maior.

O delegado Carlos André Rodrigues da Silva, do 2º DP, no bairro Primavera, informou ao Cidadeverde.com que o laudo com base em um vídeo constatou que os motorsitas estavam em alta velocidade.

Na BR-343, a velocidade permitida é de 110 km/h. Na perícia foi constatado que a BMW estava com uma velocidade entre 166,8 km/h e 174,6km/h. O New Beethe estava entre 166,9km/h e 175,8 km/h, o veículo Audi TT corria a 168 km/h e 175,9 km/h. O Mini Cooper tinha uma velocidade de 176,1 km/h a 184,3 km/h e o Camaro amarelo seguia em menor velocidade, mas ainda assim acima do permitido entre 127 km/h e 132,7 km/h.

“O motorista morto e quatro pessoas foram indiciados por disputa automobilística que resultou em duas mortes. Eles estavam praticando racha. Os veículos estavam bem coladinhos e o vídeo é bem claro”, afirmou o delegado.

Carlos André esclareceu por que o motorista que morreu no racha foi indiciado.

“A morte é excludente da punibilidade, mas não da ilicitude. Houve um crime, mesmo com a morte do motorista”, disse o delegado.

Foram indiciados: João Alves Santana Neto, motorista do fusca; Luis Gustavo Alves Soares, motorista do Mini Cooper; Deivisson José Santos Lima, motorista do Audi TT e Fabrício de Almeida Silva, condutor do Camaro amarelo.

Laudo em um sexto carro

O delegado pediu ao juiz para prorrogar a conclusão do inquérito por mais 30 dias. Carlos André solicitou um laudo no veículo Golf vermelho, que aparece em fotos que circularam no dia do acidente.

“Mais um motorista pode ser indiciado. Vamos esperar o resultado do laudo no Golf vermelho”, disse o delegado.

 

Fonte: Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com